This page has been translated from English

Física moderna e das habilidades de Fallen Angels: Visions False, Dreams, e manifestação física

Capítulo 8 - Física Moderna e as habilidades dos Anjos Caídos
Visions falsos, Sonhos, e manifestação física

E assim, depois de olhar para vários "de abduções alienígenas" casos, parece que as habilidades dos anjos caídos para provocar visões falsas (e tudo o que implica) e sonhos terríveis, bem como elementos de manifestação física, são suficientes para explicar o que os abduzidos experiência.

Em seguida vamos passar para olhar para a Física e Ciência deste ser o caso, e como a ciência não entra em conflito com a existência de anjos caídos, ou a eles ter essas habilidades. Algumas pessoas pensam que a explicação mais clara para estas abduções alienígenas é carne e sangue extraterrestres com tecnologia avançada, talvez até tendo tempo de viagem, recursos e, talvez, com o envolvimento militar. E para algumas pessoas, a explicação de anjos caídos com vastos poderes sobrenaturais, que podem causar enganos poderosa parece muito espiritual de uma resposta. Mas a compreensão da ciência moderna e é realmente permite que ambas as teorias para a existência de criaturas como anjos caídos, e para que eles tenham herdar poderes sobrenaturais tais como estes. A explicação dos anjos caídos não é menos amigável do que a ciência biológica extraterrestres com tecnologia avançada, e na verdade em alguns aspectos a explicação dos anjos caídos é mais ciência-friendly, contradizendo a ciência moderna sabe muito menos do que o ET biológica com a explicação de tecnologia avançada.

Algumas pessoas pensam que o milagre é impossível, e usar a ciência como uma justificativa para essa afirmação. A milagrosa poderia ser milagres de Deus, ou trabalhado através Santo anjos. Ou o milagre pode vir na forma de falsos sinais, milagres e maravilhas de anjos caídos, como o que eles fazem em causar falsas visões, sonhos e manifestações físicas.

O objetivo dos seguintes é mostrar as habilidades miraculosas de Deus, os anjos caídos e Santo são permitidos pela ciência, utilizando física moderna terminologia e teorias. Este é no sentido de ser a ponto de explicar como eles podem fazer tais coisas, de uma perspectiva física moderna.

O principal ponto de fazer isso é mostrar que a ciência moderna não exclui a existência de milagres. Acredito que a ciência moderna realmente completamente permite a Deus ou anjos de qualquer tipo para operar milagres sem violar as leis da ciência, e para a existência de anjos e suas habilidades biblicamente descrita. A ciência envolvida é tudo apenas teórica, teorias, principalmente secular, e eu não afirmo nada disso está correto, embora muito do que é aceito como tal por algumas pessoas.

Como o Milagrosa não entra em conflito com as teorias Ciência Moderna

Todas as categorias de visões angelicais seria chamado de eventos sobrenaturais. Há algumas palavras na Bíblia para descrever o "sobrenatural" atividades de Deus, os anjos Santo, e anjos caídos.

Grega - sinais "semeion" (4592), maravilhas "teras" (5059), e milagres "dynamis" (1411). Estes mesmos três palavras são usadas no contexto de:

1. Deus - o poder de Deus em sinais, prodígios e milagres que Deus, Jesus Cristo, e do Espírito Santo através do dom de milagres, como pode ser visto em toda a Bíblia

2. Santos Anjos - Santo anjos. (Atos 2:22, 5:12, 2 Pedro 2:11, Hb 2:4)

3. Anjos caídos, do dragão e besta, e os "três espíritos do mal, semelhantes a rãs". (Mt 24:24, 2 Tessalonicenses 2:9, Ap 13:2, 14, 16:14)

Da Bíblia é claro que Deus, em Sua três pessoas, os anjos Santo, e os anjos também Fallen, são todos capazes de realizar sinais, prodígios e milagres. Como, na física terminologia, pode trabalhar de Deus sinais, prodígios e milagres?

Gen 1:1 No princípio criou Deus os céus ea terra.

Ef 3:18 pode ser capaz de compreender, com todos os santos, qual [é] a largura, eo comprimento, ea profundidade, e altura

Apocalipse 1:8 Eu sou o Alfa eo Ômega, o princípio eo fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.

De acordo com a ciência moderna, vivemos em um universo observável 4 dimensional. O universo é feito de espaço (3) + e tempo (1) dimensões, que igual ao espaço-tempo podemos ver. Deus fez todas as três dimensões do espaço que vemos (comprimento, largura e altura), quando Deus "criou os céus ea terra". (Ef 3:18 também as referências à "profundidade" que compara mais o tamanho ou extensão ou extensão total de algo.) Deus fez a dimensão do tempo "no princípio", que marcou a criação do próprio tempo, a dimensão do tempo tal como a conhecemos. Deus é eterno, e ter feito o próprio tempo, Deus está fora do tempo, e estava aqui antes do tempo foi criada. Deus tem completa autoridade e controle sobre a dimensão do tempo. Deus também fez as três dimensões do espaço que podemos ver, e é também fora deles. Então, Deus fez tudo, e está fora de todo o universo, tendo o criou.

Acima eu uso a "dimensão", tal como é referido na ciência. Para citar Wikipédia,
"Em termos físicos, dimensão refere-se à estrutura constitutiva de todo o espaço (volume cf.) ea sua posição no tempo (considerada como uma dimensão escalar ao longo do t-eixo), bem como a constituição espacial de objetos dentro de estruturas que têm correlações com as duas partículas e concepções de campo, interagir de acordo com propriedades relativa de massa, e que são fundamentalmente matemáticas na descrição. Eixos estes ou outros podem ser referenciados para identificar um ponto ou estrutura na sua atitude e relação com outros objetos e eventos. Teorias físicas que incorporam tempo, tais como a relatividade geral, são ditas para trabalhar em 4-dimensional "espaço-tempo", (definido como um espaço de Minkowski). Teorias modernas tendem a ser "de dimensão superior", incluindo quantum de campo e as teorias de cordas. O espaço de estados da mecânica quântica é um espaço para eventos de dimensão infinita. "- Dimensão, Wikipedia

Este uso da "dimensão" não deve ser confundido com o conceito de ficção científica de um "universo paralelo". Novamente para citar Wikipedia sobre a "Dimensão" prazo,
"Textos de ficção científica, muitas vezes mencionam o conceito de dimensão, quando na verdade referindo-se a universos paralelos, universos alternativos, ou outros planos de existência. Este uso é derivada da idéia de que viajar para paralelo / alternativo universos / planos de existência é preciso viajar em uma direção / dimensão além dos padrões. Com efeito, a outros universos / aviões são apenas a uma curta distância da nossa, mas a distância está em uma (ou superior) quarta dimensão espacial (ou não-espaciais), e não os padrões. "

O "universo paralelo" conceito na ficção científica, na verdade é muito diferente do uso da "dimensão" termo de ciência, como você pode ver acima. Em teoria, um "universo paralelo" também teria três dimensões espaciais (comprimento, largura, altura) e uma dimensão de tempo. Isso significa um "universo paralelo", em teoria, na verdade tem quatro dimensões da sua própria. Além disso, o pressuposto é que há uma dimensão 5 º para o nosso universo, que seria usado para permitir que viajar para o mundo paralelo, que tem suas próprias quatro dimensões.
Não seria correto dizer um "universo paralelo" usa os mesmos quatro dimensões que nosso universo tem, pois, por definição, um "universo" é tudo o que é. Assim, um "universo paralelo" teria que ter sua própria construção das dimensões que definem a sua realidade e estrutura cosmológica, e não apenas emprestar uso das dimensões herdar em nosso próprio universo. Este é, naturalmente, todas as teorias de ficção que vêm de ficção científica, que nada tem a ver com a ciência real. E eu quero esclarecer isso, como qualquer declaração de que a ciência tem teorias sempre em frente "outras dimensões" não tem nada a ver com o conceito de ficção científica de "universos paralelos". Se a ciência fosse encontrar alguma evidência de observação de uma "5 ª dimensão" inerente em nosso universo, isso não tem nada a ver com um "universo paralelo". A "dimensão" é um termo ciência em primeiro lugar, e tem sido erroneamente emprestado pela ficção científica de tal forma que seu significado é interpretado.

, and that at the end of the 6 th day God “ saw every thing that He had made, and, behold, [it was] very good…Thus the heavens and the earth were finished, and all the host of them.” Gen 1:31,2:1. A Bíblia ensina que "no princípio" Deus fez o "céu ea terra", e que no final do 6 º dia Deus "viu tudo quanto tinha feito, e eis que [era] muito bom ... Assim os céus ea terra foram terminados, e todo o exército deles. "Gen 1:31,2:1.

Isto significa que, ao fazer os céus ea terra, eo anfitrião deles, Deus fez tudo que Ele fez. Não há qualquer outra coisa além do que Deus fez, e não há nenhuma menção de qualquer outro universo além da totalidade do universo que conhecemos que Deus fez. Portanto, há na verdade não são "universos paralelos" eo próprio conceito contradiz a Bíblia, pois este universo é tudo o que Deus disse ter feito, e está bem definido pela Bíblia. Deus fez os céus ea terra, e estes termos são bem definidos, e não há nada mais que Deus fez além de os céus ea Terra, eo anfitrião deles.

Sabemos que a Terra é, mas além deste existem vários céu (s) que Deus fez, ea Bíblia define cada um deles para nós.

O primeiro céu é o céu ou na atmosfera, e é onde a chuva vem e para onde os pássaros voam. (Gen 1:7-8, Jeremias 4:25, Ap 19:17, Dt 11:17, 28:12, 05:04 Jud, Atos 14:17)

O segundo céu é do exterior-espaço, onde o sol ea lua, e todas as estrelas, planetas e galáxias estão localizados. (Jr 08:02, Isa 13:10)

O terceiro céu é onde Deus habita, onde está o trono de Deus, e este é o lugar onde os anjos são os que estão no céu. (1 Kin 8:30, Sl 2:4, 11:4, Isaías 66:1, 2 Ch 18:18, Mt 5:16) O terceiro céu é também chamado de "céu mais alto" ou o "céu dos céus" . É o chamado "céu dos céus", porque é o céu dos céus primeiro e segundo. (1 Kin 08:27, Dt 10:14)

E assim a Terra, a atmosfera (primeiro céu), do exterior-espaço (segundo céu), e onde o trono de Deus e os anjos no céu habitam (terceiro céu) é todas as áreas que existem em toda a criação de Deus. Nenhuma destas são um "universo paralelo", e assim a Bíblia não descreve qualquer "universos paralelos" de existir. Pelo contrário, a definição completa da Bíblia sobre a totalidade da criação, na verdade exclui a existência de qualquer coisa ao longo das linhas do conceito de um "universo paralelo".

Tudo o que está sendo dito, usando o termo "dimensões" em um contexto de ciência, (comprimento espacial, largura, altura e tempo) há mais dimensões que Deus fez, além dos 4 podemos perceber, e ver a olho nu? Parece possível que existem mais dimensões do que podemos perceber, porque a Bíblia ensina que há um reino espiritual invisível.

A Terra tem quatro dimensões que podemos ver, mas também a Bíblia ensina que há um reino espiritual invisível ao nosso redor na Terra, e neste reino espiritual, os espíritos têm uma presença, como Santo anjos, anjos caídos e demônios. Sabemos que os demônios, quando eles são lançados para fora, viajar por lugares desertos, mas não podemos vê-los. (Mt 12:43, Lucas 11:24) Sabemos que um exército pode existir na Terra invisivelmente, mesmo em frente de nós, mantendo-se invisível. Isso aconteceu no caso de Eliseu e seu amigo, E orou Eliseu, e disse: Senhor, peço-te, abrir os olhos, para que ele veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu, e eis que o monte [estava] cheio de cavalos e carros de fogo em redor de Eliseu "(2 Kin 6:17) Quando Deus abriu os olhos para o. reino espiritual, ele viu um exército ao redor deles a lutar por eles. Este é o reino espiritual que existe ao nosso redor, mas é invisível.

O mesmo tipo de exército, exército de Deus que é o "exército dos céus" ou os anjos de Deus, é mencionada em Josh 5-6 na batalha de Jericó "E ele disse: Não,. Mas [como] chefe do exército do Senhor venho agora. Então Josué se prostrou com o rosto em terra, e adorou, e disse-lhe: Que diz meu senhor ao seu servo? "(Josh 05:14) O" host "do Senhor é o seu exército, que são os anjos. Enquanto os muros de Jericó parecia cair milagrosamente, a Bíblia indica que o exército de anjos de Deus estava presente. É inteiramente provável que os anjos de Deus tinha uma mão na mecânica real do muro de Jericó caindo. E assim sabemos que há um reino espiritual invisível aqui na Terra.
No primeiro céu, a atmosfera, a Bíblia também indica que, além da parte física da atmosfera, do ar e das nuvens, que o reino espiritual invisível é lá também. Os anjos voam na atmosfera, que é o primeiro céu, de modo que o reino espiritual invisível deve estar lá também. (Ezequiel 8:3, João 1:32, Ap 8:13) E Satanás é chamado o "príncipe das potestades do ar" pela Bíblia, e "ar" refere-se à atmosfera (Ef 2:2).

O terceiro céu parece ser inteiramente feito de um reino espiritual invisível, como quando olhamos para os confins do espaço, não podemos ver o trono de Deus ou os anjos. Por mais óbvio que seja, ele nos mostra que precisamente onde o trono de Deus e os anjos do céu são, eles estão em um reino espiritual invisível. E isso faz sentido que o terceiro céu é um reino espiritual, como o terceiro céu é onde Deus está, e Deus é espírito.

No meio está o segundo céu, que é definida pela Bíblia como espaço exterior. A Bíblia indica claramente que o segundo céu também contém o reino espiritual invisível, e que os anjos passar por ele à medida que descem à Terra, e subir de volta para o terceiro céu.

"E ele sonhou, e eis uma escada posta sobre a terra, eo topo chegava ao céu, e eis que os anjos de Deus subindo e descendo por ela. E eis que o SENHOR estava em cima dela, e disse: Eu [sou] o Senhor Deus de Abraão teu pai, eo Deus de Isaac: a terra em que estás deitado, te hei de dar-lhe, e à tua descendência ... "
Gen 28:12-13 deixa claro que o segundo céu, que é espaço exterior, também deve conter o reino espiritual invisível, como não vemos os anjos como subir e descer através do segundo céu. A escada que Jacó viu Deus tem dado indica que os anjos um método pelo qual a subir e descer. Jacob que poderia ver o Senhor acima da escada indica que a distância não era muito longe que os anjos tiveram que viajar. Assim, a Bíblia parece ensinar que os anjos não tem que realmente transversal a grandes distâncias do espaço exterior, a fim de chegar a terra, como é visto nas dimensões física. Pelo contrário, no reino espiritual invisível, a distância é curta o suficiente entre o céu ea terra, não mais do que uma escada que você pode ver o topo da. Uma espécie de escada permanente foi criado por Deus para os anjos para viajar através do céu 2 º, passando entre o 1 º e 3 º céus. E assim os anjos podem ser enviados para a Terra de forma rápida, como o reino espiritual invisível não é limitada pelo caminho o tempo é limitado em física pelas dimensões físicas. Como isso funciona realmente é um pouco vaga, mas podemos ter uma idéia geral do que a Bíblia diz. Em qualquer caso, o reino espiritual invisível também parece existir durante todo o segundo céu, que é espaço exterior.

E assim a Terra e todos os três dos céus têm um reino espiritual invisível que parece permear por todos eles. Aqui na Terra o reino espiritual está à nossa volta, mas invisível. A Bíblia ensina que Deus criou um lado invisível do universo, "Porque nele foram criadas todas as coisas: as coisas no céu e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. "(Cl 1:16)

E deve-se notar que os termos aqui para "os governantes, as autoridades" se referem a todos os anjos caídos. Isto pode ser visto comparando isso com Ef 6:12, "Porque não temos que lutar contra a carne eo sangue, mas contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade em alta [lugares]." E assim estes poderes e autoridades são os anjos caídos invisíveis.

Enquanto eles podem manifestar fisicamente, parece que os anjos caídos também tem algo parecido com corpos feitos de espírito. Estamos a 4 dimensões em seus aspectos físicos, sendo feito por 4 dimensões. Os anjos são espíritos, e Jesus disse, após Sua ressurreição em Lucas 24: "Vede as minhas mãos e meus pés, que sou eu mesmo: apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho." Lucas 24:39

Isto poderia ser tomada, que realmente os anjos não são a vida física dos 3 dimensões físicas em que vivemos, como nós somos. Pelo contrário, os anjos são espíritos do reino espiritual, e seus "corpos" existem no reino espiritual. Não faria sentido que os seus corpos são compostos de a substância deste reino espiritual invisível em que vivem, como os corpos humanos são compostos de o material das 3 dimensões físicas em que vivemos

1 Coríntios 15:40, 44 [Há] corpos também celestes e corpos terrestres, mas a glória dos celestes [é] um lado, ea [glória] do terrestre [é] outro ... É semeado um corpo natural; é ressuscitado corpo espiritual. Há um corpo natural, e há um corpo espiritual.

A Bíblia reconhece que pode haver corpos feitos de espírito, ou corpo espiritual. Como a nossa humana corpos terrestres são compostos de 4-dimensional matéria física, não faria sentido que o espírito de vida ou corpos celestes seria composto pelo equivalente a "matéria" do reino espiritual invisível. Os anjos têm tais corpos espirituais, e foram criados com tal. Não faria sentido que haja pelo menos uma dimensão 5 º, se não mais, e que os corpos dos anjos são compostas por a analogia com a nossa "matéria 4d", que é nesse reino espiritual. O reino espiritual pode ser composto de várias dimensões, no sentido científico do termo, como um reino espiritual de largura, comprimento e altura. Mas mesmo que o reino espiritual é apenas uma dimensão extra, no sentido científico do termo, o reino espiritual invisível ainda seria uma 5 ª dimensão, a dimensão mais 1 que o mundo 4 dimensional física que rotineiramente perceber.

Tudo isso leva ao ponto que este reino espiritual invisível pode ser composto de mais dimensões, como por o uso científico do termo. A dimensão adicional (s) do reino espiritual invisível, seria uma dimensão extra que é, pelo menos, um a mais que a 4 dimensões que percebemos. Assim, seria justo chamar anjos "extra-dimensional", ou seja, de dimensões mais do que nós, esp. se o reino espiritual invisível se correlaciona com dimensões extra, por o uso da ciência do termo.

No entanto, Deus não é simplesmente extra-dimensional. Deus é eterno, e, portanto, é o que eu chamo de "outer-dimensional". Deus está fora de dimensionalidade, sendo eterno eo Criador de tudo o que é, incluindo todas as dimensões teórica dos céus e da terra, e tudo que neles vivem. Então, para cunhar um termo, Deus é "outer-dimensional". Esta é uma distinção importante entre o Deus Criador, e Sua criação. A Bíblia diz que todos os três dos céus e da terra não podem conter Deus, que faz sentido, pois Ele fez todos eles;. Porém eles não conseguem conter tudo o que Ele criou "Mas será verdade, habitaria Deus na terra? eis que o céu eo céu dos céus não te podem conter, quanto menos esta casa que edifiquei "1 Kin 8:27?

Agora, a Terra é feita por Deus, e tem dimensões visíveis que a ciência tem estudado muitas coisas, e as mesmas para o primeiro céu ea segunda. Sabemos também que há um reino espiritual invisível em toda a criação de Deus. A ciência tem dito muito sobre o reino físico visível. Mas o fato de que o reino espiritual é invisível, não significa que a ciência nunca vai ter nada a dizer sobre isso, ou que não há regras ou limites podem operar sobre os anjos que lá vivem. Na verdade, parece que existem regras e limites, como as leis da física, que são herança no reino espiritual também. Mesmo na batalha Rev 12 entre os anjos Santo e os anjos caídos indica que existem forças opostas melhor descrito como um pouco de física reino espiritual estar presente. Isto está implícito mesmo em que os anjos Santo prevaleceu, e empurrou os anjos caídos do céu, lançando-os para a terra. Você não pode ter um anjo empurrando o outro sem um conceito da física estar implícita, mesmo no reino espiritual. Como tal, há alguma chance de que o reino espiritual invisível tem regras física sob a qual opera, e em caso afirmativo, que, quando o invisível toca reino espiritual do reino físico visível que nós conhecemos, a ciência pode ser capaz de recolher alguma introspecção, ou dar algum insight. Esta possibilidade é particularmente interessante à luz de mais e mais da física moderna a estudar coisas que são invisíveis, e as teorias sobre o que as dimensões invisíveis podem existir nos bastidores do universo.

Portanto, se estávamos a adivinhar que o reino espiritual invisível, e as criaturas que estão lá, tem algo a ver com uma dimensão extra ou dimensões (no uso científico do termo), e os espíritos são, portanto, seres extra-dimensionais, o que seria a física moderna tem a dizer sobre isso?

Física moderna realmente faz incluir o tema de dimensões extra, e falar de cientistas sobre as dimensões extras tem a ver com algo chamado "teoria das cordas" ou "teoria das supercordas".

Alguns ramos da física moderna são bem estabelecidos através de experimentos, como a gravidade, a relatividade, mecânica quântica, física de partículas muito do eletromagnetismo, e as forças nucleares fraca e forte. Teoria das cordas não é estabelecida, mas é uma tentativa de reunir todos estes ramos da árvore da física em conjunto, para conectá-los, desenhar e ver o tronco que todos os ramos do tronco. Teoria das cordas é muito teórico, não comprovadas, prováveis ​​e improváveis ​​inverificáveis, altamente matemático, e requer 11/10 dimensões para, teoricamente, ser capaz de descrever o tronco da árvore da física moderna.

Aqui é citação de Lisa Randall PhD, um físico teórico líder e especialista em física de partículas, teoria das cordas, e cosmologia:

"Quantas dimensões do espaço existem? Sabemos realmente? Até agora, eu espero que você concordaria que seria overreaching afirmar que sabemos com certeza que as dimensões extras não existem. Vemos três dimensões do espaço, mas pode haver mais que nós ainda não detectado. Você sabe agora que as dimensões extras podem ser escondidas ou porque são enrolados e pequenos, ou porque o espaço-tempo é deformado e gravidade tão concentrado em uma região pequena que até mesmo uma dimensão infinita é invisível. De qualquer maneira, se as dimensões são compactas ou localizada, espaço-tempo parece ser de quatro dimensões em todos os lugares, não importa onde você está. "
-Lisa Randall PhD, Passagens Warped: Desvendando os Mistérios de dimensões escondidas do Universo, pg. 437

Lisa Randall está dizendo, de acordo com a física moderna, que pode ser muito grande, mesmo infinitamente grande, dimensões invisíveis que existem, embora só podemos perceber as quatro dimensões do espaço-tempo. A 5 ª dimensão de grande porte como este poderia ser o reino espiritual invisível ensinada na Bíblia, que contém anjos em corpos o seu espírito de que dimensão.

E aqui está uma citação de Stephen Hawking Phd, um dos mais famosos cientistas e astrofísicos teóricos do nosso tempo, comentando os seus pensamentos no trabalho de Randall:

"Se o fato, a fim de explicar a taxa em que as estrelas orbitam o centro da nossa galáxia, parece que deve haver mais massa do que é contabilizado pela matéria que observamos. Esta massa em falta possam surgir a partir de algumas espécies exóticas de partículas em nosso mundo, como WIMPs (fraca interação partículas massivas) ou axions (muito leve partículas elementares). Mas falta de massa também poderia ser prova da existência de um mundo de sombras com a matéria nele ... Em vez de as dimensões extras termina em uma membrana sombra, outra possibilidade é que eles são infinitos, mas altamente curvado, como uma sela. Lisa Randall e Raman Sundrum mostrou que este tipo de curvatura atuaria mais como um segundo membrana: a influência gravitacional de um objeto na brana seria confinado a um pequeno bairro da membrana e não espalhar-se até ao infinito nas dimensões extra. Como no modelo de membrana sombra, o campo gravitacional teria a queda de longa distância certa para explicar as órbitas planetárias e as medições de laboratório da força gravitacional, mas a gravidade variaria mais rapidamente a curtas distâncias. Há, porém, uma importante diferença entre este modelo de Randall-Sundrum eo modelo de membrana sombra. Corpos que se movem sob a influência da gravidade produzem ondas gravitacionais, ondulações de curvatura que viajam através do espaço-tempo à velocidade da luz. Como as ondas eletromagnéticas da luz, as ondas gravitacionais deveriam transportar energia, uma previsão que foi confirmada por observações do pulsar binário PSR1913 +16. Se nós realmente vivemos em uma membrana em um espaço-tempo com dimensões extras, ondas gravitacionais geradas pelo movimento dos corpos na membrana iria viajar fora em outras dimensões. Se houvesse uma membrana segunda sombra, ondas gravitacionais seria refletida de volta e preso entre as duas membranas. Por outro lado, se houvesse apenas uma única membrana e as dimensões extras foi para sempre, como no modelo de Randall-Sundrum, ondas gravitacionais poderia escapar completamente e levar embora a energia do nosso mundo brana. Isto pareceria violar um dos princípios fundamentais da física: A Lei da Conservação da Energia. A quantidade total de energia permanece o mesmo. No entanto, parece ser uma violação apenas porque a nossa visão do que está acontecendo é restrita à membrana. Um anjo que pudesse ver as dimensões adicionais saberia que a energia foi o spread, mesmo apenas mais para fora. "
-Stephen Hawking PhD, The Universe in a Nutshell, pgs. 184-192

Dando credibilidade à declaração de Randall, basicamente, Hawking diz que grande extra-dimensões são possíveis, e não violar as leis conhecidas da física. Na verdade, sua existência pode ajudar a explicar algumas questões bastante grande befuddling na ciência, que ainda estão sem respostas, tais como falta de massa. Como ciência, como permite a existência de um reino espiritual invisível, potencialmente, um em que os anjos estão, e os corpos espírito de anjos poderiam ser composto das coisas desta dimensão extra, este reino invisível.

O ramo da física chamado mecânica quântica lida com partículas subatômicas que são (que é menor que um átomo). A mecânica quântica foi bem estabelecida através da experimentação científica. Ao contrário da teoria das cordas, a mecânica quântica é um campo de experimentação prática. É na física quântica, que encontramos o Princípio da Incerteza de Heisenberg:

Na física quântica, o princípio da incerteza de Heisenberg afirma que certos pares de propriedades físicas, como posição e momento, não podem ambos ser conhecidos com precisão arbitrária. Ou seja, o mais precisamente uma propriedade é conhecida, menos precisamente o outro pode ser conhecido. É impossível medir simultaneamente tanto a posição ea velocidade de uma partícula microscópica com qualquer grau de precisão ou certeza. Esta não é uma declaração sobre as limitações da capacidade de um pesquisador para medir determinadas quantidades de um sistema, mas sim sobre a natureza do próprio sistema e, portanto, expressa uma propriedade do universo.
Wikipedia-Princípio da Incerteza,

Isto significa basicamente que em um nível subatômico, a de elétrons, quarks, fótons, etc, parece haver um princípio fundamental da aleatoriedade. Partículas ir onde eles parecem querer ir. Partículas quase parecem escolher o que eles estão fazendo. No entanto, essas escolhas fazem um padrão geral, de probabilidades estatisticamente calculável.

Um dos cientistas mais conhecidos e respeitável na história recente, instrumental no desenvolvimento da mecânica quântica, foi Richard Feynman doutorado. He worked on the Manhattan project developing the atomic bomb, was a recipient of the Nobel Prize in Physics, and is also known for demonstrating the O-ring defects resulting in the space shuttle Challenger tragedy.

To quote Richard Feynman PhD on the Uncertainty Principle in quantum mechanics:

Pode-se ainda gostaria de perguntar: "Como isso funciona? Qual é o mecanismo por trás da lei? "Ninguém encontrou uma máquina por trás da lei. No one can “explain” any more than we have just “explained.” No one will give you any deeper representation of the situation. We have no ideas about a more basic mechanism from which these results can be deduced.
We would like to emphasize a very important difference between classical and quantum mechanics. We have been talking about the probability that an electron will arrive in a given circumstance. We have implied that in our experimental arrangement (or even in the best possible one) it would be impossible to predict exactly what would happen. We can only predict the odds! This would mean, if it were true, that physics has given up on the problem of trying to predict exactly what will happen in a definite circumstance.
Sim! physics has given up. We do not know how to predict what would happen in a given circumstance, and we believe now that it is impossible—that the only thing that can be predicted is the probability of different events. It must be recognized that this is a retrenchment in our earlier ideal of understanding nature. It may be a backward step but no one has found a way to avoid it.
No one has figured a way out of this puzzle. So at the present time we must limit ourselves to computing probabilities. We say “at the present time,” but
we suspect very strongly that it is something that will be with us forever—that it is impossible to beat that puzzle—that this is the way nature really is.
-Richard P. Feynman, PhD, The Feynman Lectures on Physics, Vol. 3, pgs.1-10,1-11

So why is it that at the scale of the tiniest parts of the universe, that there is all this randomness? Why has science given up on precise predictability, and accepted that uncertainty and chance rule the microscopic domain of the most basic and fundamental building blocks of the universe? Why can only probabilities be known?

With the advent of quantum mechanics, we have come to recognize that events cannot be predicted with complete accuracy but that there is always a degree of uncertainty. If one likes, one could ascribe this randomness to the intervention of God , but it would be a very strange kind of intervention: there is no evidence that it is directed toward any purpose. Indeed, if it were, it would by definition not be random. In modern times, we have effectively removed the third possibility above by redefining the goal of science: our aim is to formulate a set of laws that enables us to predict events only up to the limit set by the uncertainty principle.
-Stephen Hawking PhD, The Illustrated Brief History of Time, Pg 224

There is always an element of uncertainty or chance, and this affects the behavior of matter on a small scale in a fundamental way. Einstein was almost singlehandedly responsible for general relativity, and he played an important part in the development of quantum mechanics. His feelings about the matter are summed up in the phrase “ God does not play dice.” But all the evidence indicates that God is an inveterate gambler and that He throws the dice on every possible occasion.
-Stephen Hawking PhD, Black Holes and Baby Universes, pg. 70

Regarding quantum physics, Einstein said that “God does not play dice”, and Stephen Hawking says, “God throws the dice on every possible occasion”.

But what does the Bible say on the topic of dice and God?

Prov 16:33 We may throw the dice, but the LORD determines how they fall.

Assuming that whether it is us or the universe that throws the dice, it makes no difference, then what the Bible indicates is that God set up the universe to “play dice” on a quantum level, but at the same time, God is the one that determines how those “quantum dice” fall. By “quantum dice” I am referring to all of the subatomic particles/energies and their activities on the microscopic scale of the quantum level.

However, if the uncertainty principle of quantum physics is correct, then the Bible assures us that God still sets the rules and outcomes for the seeming “randomness” of the “quantum dice”. God is in control of the randomness and the probabilities that we see.

Some Christians who are Scientists speak on this very issue:

John Byl has a PhD in Astronomy, is the author of the book “God and Cosmos: A Christian View of Time, Space, and the Universe”, and is Professor of Mathematics and Head of the Department of Mathematical Sciences at Trinity Western University.

WG Pollard and, more recently, Nancey Murphy advocate that the apparently random events at the quantum level are all specific, intentional acts of God. God's action at this level is limited in that
(1) He respects the integrity of the entities with which He co-operates (eg, He doesn't change the electron's mass arbitrarily) and
(2) He restricts His action to produce a world that, for all we can tell, is orderly and law-like.
God is the hidden variable. Murphy asserts that this position is not only theologically preferable to indeterminism, but has the further advantage of consistency with the principle of sufficient reason. Of course, if God is directly responsible for quantum events this entails that these are therefore predictable by God. Hence we are left with a deterministic universe, at least at the quantum level.”

“God's sovereignty rules out the possibility of agents acting independently of Him. In particular, quantum mechanics does not imply ontological indeterminism , given that determinist interpretations of quantum mechanics are possible, that non-physical secondary causes cannot be ruled out and that God is the primary cause for all events.”
-John Byl PhD, “Indeterminacy, Divine action and Human Freedom”

William Pollard PhD, is a Nuclear Physicist and Episcopal Priest, with a PhD in Physics and Honorary doctorates in science, divinity, law, and humane letters. He is the author of “Chance and Providence: God's Action in a World Governed by Scientific Law”. The entire book is on God operating, instead of “chance”, in quantum mechanics.

“In the next chapter I will begin the presentation for your consideration of a quite different approach to this problem which seems to me to offer an entirely adequate solution for it. Under it, as we shall attempt to show, there can emerge again in all of its ancient power the fullness of the Biblical response to the living God who is ever active in the whole of His creation sustaining, providing, judging, and redeeming all things, both in heaven and in earth, in accordance with the mysterious and hidden purposes of His might will. At the same time, however, this is accomplished in such a way that the essential integrity and unity of science, both as it is now and as in principle it may become, is fully preserved.”
“To Einstein's famous question expressing his abhorrence of quantum mechanics, “Does God throw dice?” the Judeo-Christian answer is not, as so many have wrongly supposed, a denial, but a very positive affirmative. For only in a world in which the laws of nature govern events in accordance with the casting of dice can a Biblical view of a world whose history is responsive to God's will prevail.”

-William Pollard PhD, “Chance and Providence: God's Action in a World Governed by Scientific Law”, pg. 35, pg. 97

Nancey Murphy PhD, Theologian, is Professor of Christian Philosophy at the Fuller Theological Seminary. She also serves as an editorial advisor for Theology and Science, Theology Today, and Christianity Today. She is the author of “Divine Action In The Natural Order”.

“The second strategy for giving an account of the locus of divine action explores quantum physics and seeks to give an account of God's action throughout the natural and human world by means of action at the quantum level (either alone or in conjunction with top-down action). My proposal is motivated theologically. If God is immanent in and acting in all creatures, then necessarily God is acting at the quantum level. Emphasis on this fact has the advantage of sidestepping the problem of interventionism: the laws of quantum mechanics are only statistical and therefore not subject to violation. If, as most interpreters conclude, events at this level are genuinely indeterminate, then there need be no competition between divine action and physical causation. It is possible from a theistic perspective to interpret current physics as saying that the natural world is intrinsically incomplete and open to divine action at its most basic level .”
-Nancey Murphy PhD, Dive Action In The Natural Order, pg. 131

In other words, God is in control and constantly interacting with the world at a quantum level. Where scientists see randomness and probabilities, they are seeing God determine how the dice fall, all the time, in quantum mechanics. The Bible may also present an argument of God controlling the “quantum dice” in Col 1:16-17, referring to Jesus Christ,

“For by him were all things created, that are in heaven, and that are in earth, visible and invisible, whether [they be] thrones, or dominions, or principalities, or powers: all things were created by him, and for him: And he is before all things, and by him all things consist.

The word here for “consist” is “synistemi” (4921) and it means, “to consist of or be composed of, to cohere, put together, hold together or band together”.

According to subatomic physics, it is the quantum force particles of bosons, and gluons that hold together atoms, and particles like photons and electrons that hold together different atoms. As such, this verse in the Bible could be referring to, that it is by God's control over the “quantum dice” that makes these particles we are composed of to hold together. As such, by His actions all things hold together or “by Him all things consist”.

Assumindo que é verdade que Deus não permite que aleatoriedade em um nível quântico da física, mas também constantemente controla o resultado dessa aleatoriedade, além de "sustentando todas as coisas", como o universo ", pela palavra do seu poder" (Hb 1:03 ), há uma outra razão possível para Deus criando o universo que ser dessa maneira? Poderia se relaciona com milagres, sinais e maravilhas? Este poderia muito bem ser o caso.

Não só a física quântica permite partículas existentes que podemos observar na experiência para agir de forma aleatória, mas também permite a partículas e antipartículas (antimatéria) ao pop dentro e fora da existência, aparentemente de forma aleatória. Essas partículas geralmente só existem por um tempo muito curto, e são chamados de "partículas virtuais".

"Down na escala de comprimento menor e muito trilhões de vezes menores que os átomos, é o que é conhecido como a escala de Planck, onde o conceito de comprimento perde o seu significado e as regras de incerteza quântica. A este nível, todas as leis conhecidas da física e até mesmo quebrar o espaço eo tempo tornam-se conceitos nebulosos. Qualquer e todas as distorções possíveis do espaço-tempo será entrando e saindo da existência de uma dança aleatória e caótica que está acontecendo o tempo todo em toda parte no universo. Termos como "flutuações quânticas" e da "espuma quântica", que são usados ​​para descrever esta atividade caótica certamente não fazer justiça. "
-Jim Al-Khalili PhD, Buracos Negros, Wormholes e máquinas de Time, pg. 207
PhD em Física Teórica Nuclear, físico teórico da Universidade de Surrey

A existência dessas partículas aparentemente aleatórios não viola as leis da física, especialmente a Lei da Conservação da Energia:

"Onde é que todas essas partículas vêm? A resposta é que a mecânica quântica e relatividade permitem assunto a ser criado a partir de energia na forma de pares partícula / antipartícula. E onde veio a energia de criar este assunto? A resposta é que ele foi emprestado a partir da energia gravitacional do universo. O universo tem uma enorme dívida de energia gravitacional negativa, o que equilibra exatamente a energia positiva da matéria. "
-Stephen Hawking, PhD, Buracos Negros e Universos Baby, Pg. 97

Partículas virtuais têm se mostrado, através de experimentos, a existir, como pode ser visto na mudança de Cordeiro eo Efeito Casimir.

"Essas partículas são chamadas de virtual, porque, ao contrário de" real "de partículas, eles não podem ser observados diretamente com um detector de partículas. Seus efeitos indiretos podem ser medidos, no entanto, e sua existência foi confirmada por uma pequena mudança (o "deslocamento de Lamb") que produzem no espectro de luz de átomos de hidrogênio animado. "
-Stephen Hawking PhD, Buracos Negros e Universos Baby, Pg 107

Sobre o Efeito Casimir,

“As we saw in Chapter 7, even what we think of as “empty” space is filled with pairs of virtual particles and antiparticles that appear together, move apart, and come back together and annihilate each other. Now, suppose one has two metal plates a short distance apart. The plates will act like mirrors for the virtual photons or particles of light. In fact they will form a cavity between them, a bit like an organ pipe that will resonate only at certain notes. This means that virtual photons can occur in the space between the plates only if their wavelengths (the distance between the crest of one wave and the next) fit a whole number of times into the gap between the plates. If the width of a cavity is a whole number of wavelengths plus a fraction of a wavelength, then after some reflections backward and forward between the plates, the crests of one wave with coincide with the troughs of another and the waves will cancel out.
Because the virtual photons between the plates can have only the resonant wavelengths, there will be slightly fewer of them than in the region outside the plates where virtual photons can have any wavelength. Thus there will be slightly fewer virtual photons hitting the inside surfaces of the plates than the outside surfaces. One would therefore expect a force on the plates, pushing them toward each other . This force has actually been detected and has the predicted value. Thus we have experimental evidence that virtual particles exist and have real effects.”
-Stephen Hawking PhD, The Illustrated Brief History of Time, pgs. 204-206

Virtual particles can include all types of particles, including photons, electrons, gluons, bosons, and quarks. According to physicists, under certain conditions in the universe, virtual particles can exist for longer periods of time and therefore become “real” particles. This particular example relates to conditions of space near a black hole, but in principle this shows that science does generally allow for the possibility of virtual particles popping into existence and becoming real particles.

“We can understand this in the following way: what we think of as “empty” space cannot be completely empty because that would mean that all the fields, such as the gravitational and electromagnetic fields, would have to be exactly zero. However, the value of a field and its rate of change with time are like the position and velocity of a particle: the uncertainty principle implies that the more accurately one knows one of these quantities, the less accurately one can know the other. So in empty space the field cannot be fixed at exactly zero, because then it would have both a precise value (zero) and a precise rate of change (also zero). There must be a certain minimum amount of uncertainty, or quantum fluctuations, in the value of the field. One can think of these fluctuations as pairs of particle of light or gravity that appear together at some time, move apart, and then come together again and annihilate each other. These particles are virtual particles like carry the gravitational force of the sun: unlike real particles, they cannot be observed directly with a particle detector. However, their indirect effects, such as small changes in the electron orbits in atoms, can be measured and agree with the theoretical predictions to a remarkable degree of accuracy. The uncertainty principle also predicts that there will be similar virtual pairs of matter particles, such as electrons or quarks . In this case, however, one member of the pair will be a particle, and the other an antiparticle (the antiparticles of light and gravity are the same as the particles).
Because energy cannot be created out of nothing, one of the partners in a particle/antiparticle pair will have positive energy, and the other partner negative energy. The one with negative energy is condemned to be a short-lived virtual particle because real particles always have positive energy in normal situations. It must therefore seek out its partner and annihilate with it. However, a real particle close to a massive body has less energy than if it were far away, because it would take energy to lift it far away against the gravitational attraction of the body. Normally, the energy of the particle is still positive, but the gravitational field inside a black hole is so strong that even a real particle can have negative energy there. It is therefore possible, if a black hole is present, for the virtual particle with negative energy to fall into the black hole and become a real particle or antiparticle . In this case it no longer has to annihilate with its partner. Its forsaken partner may fall into the black hole as well. Or, having positive energy, it might also escape from the vicinity of the black hole as   a real particle or antiparticle . To an observer at a distance, it will appear to have been emitted from the black hole.”
-Stephen Hawking PhD, The Illustrated Brief History of Time, Pgs. 134-137

According to science it is possible that physical quantum particles can randomly pop into existence seemingly out of nowhere. If God is controlling the “quantum dice”, then this means God could cause these subatomic quantum particles to come into existence out of nowhere. This does not contradict the laws of physics in any way. Rather the laws of physics and modern science make clear that subatomic quantum particles popping into existence from out of nowhere is the normal state of the universe, which science has confirmed. And it is entirely possible for this randomness to be controlled by God controlling the “quantum dice”; and the quantum randomness seen has no explanation. Metaphorically speaking, this is a huge hole in the wall of science, which allows for the hand of God to come through into the physical universe, without in any way contradicting science or the known laws of physics. This shows that science actually allows for miracles and the miraculous done by God, without it in any way conflicting with Science or Modern Physics.

Modern Physics teaches that elementary particles, of all kinds, can and do randomly pop in and out of existence. This includes photons, which are particles of light. This also includes gravitons, which are theoretical and theoretically instrumental in gravity, as well as gluons, bosons and other force carrying particles.

Some force carrying particles are what hold quarks together to form neutrons and protons, and other force particles hold together atoms. All of these particles can pop into existence out of nowhere, seemingly randomly, the universe allows for this, and the universe was created by God intentionally to be the way it is.

What are quarks and electrons? They are the particles that are the building blocks of atoms.

Different types of atoms make up all of the elements of matter, as seen in the periodic table of the elements.

Atoms are the building blocks of all the matter we see, and our bodies are made of atoms.

So assuming God, who is omnipotent, one way or another controlled the randomness of the quantum world… then this means that God could choose to have a large number of quarks, gluons, electrons, etc. pop into existence very quickly, and assemble into atoms. God could also do this in such a way that many atoms were formed, and would assemble into much larger objects, even objects large enough that we could see them.

This might include things like oil and grain popping into existence out of nowhere:

1 Reis 17:8-16
And the word of the LORD came unto him, saying, Arise, get thee to Zarephath, which belongeth to Zidon, and dwell there: behold, I have commanded a widow woman there to sustain thee. So he arose and went to Zarephath. And when he came to the gate of the city, behold, the widow woman was there gathering of sticks: and he called to her, and said, Fetch me, I pray thee, a little water in a vessel, that I may drink. And as she was going to fetch it, he called to her, and said, Bring me, I pray thee, a morsel of bread in thine hand. And she said, As the LORD thy God liveth, I have not a cake, but an handful of meal in a barrel, and a little oil in a cruse : and, behold, I am gathering two sticks, that I may go in and dress it for me and my son, that we may eat it, and die. And Elijah said unto her, Fear not; go and do as thou hast said: but make me thereof a little cake first, and bring it unto me, and after make for thee and for thy son. For thus saith the LORD God of Israel, The barrel of meal shall not waste, neither shall the cruse of oil fail, until the day that the LORD sendeth rain upon the earth. And she went and did according to the saying of Elijah: and she, and he, and her house, did eat many days. And the barrel of meal wasted not, neither did the cruse of oil fail, according to the word of the LORD, which he spake by Elijah .

God provided for 3 years oil and grain, though the land was in a drought with famine. This oil and grain appeared seemingly out of thin air. But another way to put it might be that it appeared out of “seemingly random quantum foam”. And there are many miracles, signs, and wonders in the Bible, done by God, which are similar to this, such as Jesus Christ feeding the multitudes of thousands from a couple fish and a few loaves of bread.

Also, there are miraculous healings mentioned many times in the Bible. According to science, our bodies are made up of molecules of atoms, which are made from quarks and electrons and such. Consider the cases of sight being restored to the blind, the healing of the disfigured hand, the healing of lepers, and the healing of all manner of sicknesses; miracles done by Jesus Christ. Control over the “quantum dice” would be one way to explain how sick flesh was instantaneously changed into healthy flesh.

And so this is one way to describe, in modern physics concepts, how God does miracles, signs, and wonders. Though God does do them, whether control of the “quantum dice” of quantum physics is truly and specifically how, or not.

But the Bible also says that Holy angels, and Fallen angels, also work miracles, signs and wonders. (Acts 2:22, 5:12, 2 Peter 2:11, Heb 2:4, Matt 24:24, 2 Thes 2:9, Rev 13:2, 14, 16:14) So it could be an accurate description to say that how fallen angels also do miracles, signs, and wonders is because they too somehow have control over the “quantum dice”, though definitely on a more limited scale than God does.

The Bible teaches that God is everywhere in the universe, and there is nowhere that He is not. Whereas fallen angels have a set, limited, location for their spirit body, and are only in one place at a time, much like mankind. Under this line of reasoning, God has power, and “quantum power” over everywhere in the universe, but fallen angels only have power or “quantum power” in their immediate location. Also, God has power over the fallen angels' spirit bodies themselves, as their bodies are part of the creation, whereas fallen angels have no such power over God.

It does make some analogous sense that all angels would have powers like God, but limited, for the Bible several times in the Old Testament calls angels the “sons of God”. (Gen 6, Job 1:6, Job 2:1, Psalm 29:1, 89:6)

It may be that the extra-dimensionality of angels is what would make possible them having limited control over the “quantum dice” in their immediate location.

“Today, however, physicists are following a different trail-the one leading to superstring theory. Unlike previous proposals, it has survived every blistering mathematical challenge ever hurled at it. Not surprisingly, the theory is a radical-some might say crazy-departure from the past, being based on tiny strings vibrating in 10-dimensional space-time… In superstring theory, the subatomic particles we see in nature are nothing more than different resonances of the vibrating superstrings, in the same way that different musical notes emanate from the different modes of vibration of a violin string.”
-Michio Kaku PhD, “Into the Eleventh Dimension”, author of Hyperspace: A Scientific Odyssey through the 10th Dimension, Oxford University Press.

According to String Theory, particles in the 4-dimenional space-time we observe, are the result of vibrations of 1 dimensional strings that exist in an additional 6-7 dimensions, in the scientific sense of the word which (comes to10-11 dimensions total).

As such, speaking generally according to science in principle, it is possible that the extra-dimensionality of angels would allow for their altering of particles in our 4 dimensional world, on the subatomic quantum level. As such, their extra-dimensionality, in the spiritual realm, may be tied directly to their ability to work “miracles, signs, and wonders”, possibly through being able to determine how the “quantum dice” fall (on a limited scale in their immediate locality).

To illustrate, imagine that sitting on a table, is a cup. This cup has 3 spatial dimensions, and as the second pass, it moves through the 4 th dimension of time. Now, in the exact same location as the cup, would be 6-7 invisible dimensions that you can't see. And that is because these invisible 6-7 dimensions intersect the 4 dimensions we know at every point. These 6-7 dimensions are most definitely not somewhere else, but are in the same place we are, but invisible. Now, if these 6-7 extra dimensions correspond to the invisible spiritual realm that the Bible teaches, then an angel who has a spirit body would have an invisible spirit body comprised of the stuff of these 6-7 extra dimensions. And such an invisible angel could choose to effect the 6-7 extra dimensions where the cup is located so as to knock the cup over.

In other words, fallen angels have spirit bodies in the invisible spiritual realm. If the spiritual realm is composed of these extra 6-7 dimensions, then the spirit bodies of the fallen angels are composed of the spiritual realm, these extra 6-7 dimensions. Just as the invisible spiritual realm is all around us, so also could be these 6-7 extra dimensions. According to String Theory (just a theory) what we observe as an effect in our 3 spatial dimensions is caused by what happens in the 6-7 invisible extra dimensions. This means that an extra-dimensional angel could use their extra-dimensional spirit body in the 6-7 extra dimensions, to have the effect of changing things in the physical 3 dimensions we perceive. And in this, fallen angels would also have limited control over how the “quantum dice” fall, but only in a very limited location where they are present. As the invisible realm is all around us (or these extra dimensions would be also) a fallen angel can only effect changes in the immediate locality around them, in the location of their spirit body.

And so this shows how Modern Physics also allows for angels or fallen angels to work miracles (in a limited locality) along the same lines as how Modern Physics allows for God to work miracles. And so angels can also work miracles and do the miraculous, without violating and laws of Modern Physics or science. Rather, Modern Physics and Science totally allows for the existence of angels, their spirit bodies, the invisible spiritual realm, and the miraculous powers of angels as described in the Bible.

When it comes to Holy angels or fallen angels, the Bible describes that they can cause dreams and Visions, as well as causing the physically miraculous or miracles.

In the case of fallen angels, they cause False Visions, which can seem entirely physically real to a victim, and also dreams. Beyond this fallen angels can cause physical injury, and other sorts of physical manifestations, like objects moving, or recording film being altered, etc. These physical manifestations would be considered as false signs, false miracles, and false wonders, Biblically speaking.

I think that fallen angels being able to control (in their immediate locality) how the “quantum dice” fall, would work as a way to explain Physical manfestations very easily, both with visible angels materializing, or seeing the physical effects of invisible angels, including the physical aspects of Visions.

Excepting time perception manipulation, I also think this “quantum dice” idea explains all varieties and aspects of Visions quite well, and also dreams. This is because the human brain also can experience the effects of a fallen angel being able to control the “quantum dice” (in a limited localized way).

“The human brain, however, is also subject to the uncertainty principle. Thus, there is an element of the randomness associated with quantum mechanics in human behavior. But the energies involved in the brain are low, so quantum mechanical uncertainty is only a small effect.”

-Stephen Hawking PhD, Black Holes and Baby Universes, Pg. 133

Although the effect of quantum mechanical uncertainty in the brain is normally small, if fallen angels can determine how the “quantum dice” fall, then a fallen angel could make the effect quite large and noticeable.

Regarding False Visions, all of our physical senses are dependant on how our brain interprets them. By fallen angels generating electrical impulses in the brain, and such things like that, fallen angels would be able to make us “see” things that are not actually in front of our eyes, and “hear” things that are not there to make any sound, “feel” things that are not touching our bodies, “smell” things not before our noses, and “taste” things that are not on our tongues. These things would seem completely real to all of the bodily senses. And the electrical impulses that are truly transmitting information about reality around us could also be blocked out by fallen angels, under this same ability. Or actual reality could be partially blocked. And either way, false electrical signals in the brain generated by fallen angels, through manipulation of the “quantum dice”, could cause a person to experience a False Vision that seemed entirely physically real, but was not.

A person could be caused to perceive something completely illusionary, by a fallen angel manipulating that person's brain, which is a person's gateway to physical perception. As such, an illusion could seem completely physically real to all of the bodily senses, so much so as to be completely indistinguishable from reality to the person. This manipulation of the senses through manipulation of the brain is very likely what happens in False Vision (or in Holy angelic true Visions). Fallen angels could cause this to happen to more than one person at a time, strengthening the deception. And also under the same limited control over the “quantum dice”, fallen angels could cause physical manifestations, even running concurrently with a Vision which seems real. This sort of deception can be very powerful. Dreams could be explained much in the same way, but the same sort of thing occurring while the person is asleep and dreaming.

Besides all of this, there is one more thing which is miraculous that fallen angels do, which modern science allows for in a specific way. That is time perception manipulation.